Dicas

/ Lalitex

Surgiu a dúvida na hora de escolher a cortina? Confira nossas dicas!

A cortina é a moldura da janela, ela enfeita e muda de forma rápida e sofisticada o layout de qualquer ambiente, além de ser uma alternativa formidável para bloquear a luz solar. Verdadeiro coringa na decoração, seja em voil, seda, linho, tecidos lisos ou estampados, as cortinas criam um clima despojado e elegante à decoração, conferindo estilo e personalidade, além disso, proporcionam privacidade e aconchego.

Porém, vale lembrar que há uma infinidade de tecidos disponíveis no mercado, então, antes de sair comprando, é importante saber qual a finalidade principal ao adquirir este produto, assim não é necessário gastar muito e nem ficar frustrado com o comparativo entre expectativa e realidade, com estas informações definidas tudo vai sair como o esperado.

As cortinas confeccionadas em fibras naturais como algodão, linho, rami, juta, fibras de lã e seda oferecem frescor, delicadeza aos espaços, mas não são adequadas para contato direto com a luz solar, pois alem de mancharem com o contato da luz solar, podem encolher após serem lavados.

Já os tecidos de fibras sintéticas, como o poliéster e acrílico são de fácil manutenção e suportam melhor a ação do sol. As cortinas sintéticas são mais duradouras, por isso mais recomendadas para locais de rotina diária, além disso, sua conservação é mais simples. Para casas e apartamentos onde há muita incidência de sol nas janelas o ideal é usar uma de poliéster.


Ficou em dúvida sobre qual escolher? Pode relaxar, pois os tecidos da Lalitex são fabricados com um misto de fibras naturais e sintéticas, desta forma eles ganham a aparência do natural, ao mesmo tempo que contam com a durabilidade e praticidade do poliéster.

A transparência dos tecidos leves como a seda, o voil e a organza combinam com ambientes clássicos, românticos e sensíveis, aproveitam a iluminação externa e possibilitam o uso de pregas e franzidos. Os tecidos mais pesados, dentre eles o cetim, veludo, shantung, sarja e tergal verão permitem melhor vedação da luz externa, porém deve-se considerar a resistência do trilho ou varão utilizado, pois neste caso pode ser necessário a instalação de vários suportes de fixação devido ao peso deles.

Para diminuir a luminosidade do ambiente o mais indicado é uma cortina sobreposta, pois pode ser trabalhada em composê de tecidos lisos e listrados, mas se o objetivo é eliminar a luminosidade, o ideal é utilizar um blackout. A cortina com forro protege o tecido principal da agressão dos raios UV do sol, especialmente importante no caso do tecido da cortina principal ser composto de fibras naturais.

Para acertar no tamanho da cortina a conta mais correta é usar para cada 1 metro de varão 3 metros de tecido, para que a cortina tenha caimento e leveza.


Qual a cor mais apropriada para cada ambiente?

Depois de escolher o tecido, vem outra dúvida: qual a cor? Isso depende muito do contexto do ambiente onde ela será colocada. A cartela de novidades está cada vez mais variada, e além dos tecidos lisos, o consumidor tem infinitas opções como os listrados, xadrezes, estampados, bordados e devore. Se os móveis e objetos que compõem o ambiente forem marcantes, com muitas cores e desenhos, as cortinas devem ter tons mais suaves. Quando o restante da decoração for mais neutra pode-se optar por tecidos com mais informações, neste caso, tudo depende do gosto pessoal de quem vai usufruir. A beleza está na combinação destes elementos harmonicamente, e as variantes são imensas, pois os tons podem ir do natural, branco ou bege, até o vinho, café, fendi, prata, azul turquesa, cítricos, entre outros.

Ah! para deixar as cortinas sempre bonitas e cheias de charme, lembre-se de respeitar as indicações dos fabricantes para garantir maior durabilidade, beleza e vida útil.


Varão ou trilho, eis a questão?

A cortina pode correr em varão ou trilho. Optar por uma ou outra sustentação vai depender do tipo de cortina, forma de instalação e, principalmente, da decoração escolhida para o ambiente, para que a peça se encaixe perfeitamente no contexto.

O varão é um bastão de metal ou madeira apoiado em um suporte adaptado nas extremidades da parede ou teto. O suporte pode ser simples, duplo ou triplo para acomodar a cortina, forro, blackout, xale e outras partes que o consumidor desejar. Ele é prático para instalar e é possível controlar as ondulações da cortina de acordo com a disposição dos ilhoses e das argolas, além disso, proporcionam uma atmosfera mais contemporânea.

Para quem prefere um produto mais discreto e não quer ocupar muito espaço o trilho suíço é uma excelente aposta, este tipo é o mais usado e também é uma estrutura para pendurar a cortina que permite o movimento com auxílio de rodízios. Sua utilização é bastante indicada para locais que possuem cortineiro, pois ele ficará escondido.

Normalmente são fabricados em alumínio e ficam presos ao teto, portanto são para cortinas que ocuparão a parede de cima a baixo. Seu deslizamento é mais simples, e outro destaque do trilho, é a possibilidade de trabalhar bem com forro blackout, que permite perfeita vedação da claridade, e ainda propícia uma ampla variedade de pregas nos tecidos e volume de “ondas”, deixando os espaços mais ricos. É possível optar por trilhos simples, duplos ou triplos, dependendo da quantidade de camadas escolhidas para cada janela.